61109270_1255036511338368_66053497463431
ORGANIZAÇÃO
64787738_10219835846475505_2862771233802
Se estas premissas ressoam contigo e se teu coração apela à tua contribuição para esta energia, convidamos-te a fazer parte desta Associação!
 
Abaixo podes descarregar a ficha de Sócia/Sócio, preenchê-la e encaminhá-la para nós.

Quero ser Sóci@



Valor da quota anual: 20 €, jóia inicial: 5 €

 

IBAN PT50 0018 0003 461 560 140 20 24


Por favor, envia a ficha preenchida e o comprovativo do pagamento dos 25 € para o endereço:


Associação Cultural Jardim das Hespérides

Travessa Maria Adelaide Ribeirete, 6

2510-044 Óbidos


ou para: jardimdashesperides.associacao@gmail.com

IMG_6800.jpeg

 

 

A Conferência da Deusa é organizada por:

ASSOCIAÇÃO CULTURAL JARDIM DAS HESPÉRIDES
NIPC 514575581, criada em setembro de 2017

​Esta Associação é fundada com a seguinte finalidade:

- Reivindicar e resgatar a antiga dimensão espiritual deste território denominada Jardim das Hespérides;

- Recuperar o conhecimento, histórico e pré-histórico, nativo ou de relevância no território nacional, de divindades femininas, da Deusa, bem como dos cultos e culturas que lhes estão associadas, nomeadamente as antigas culturas orientadas para a parceria, ou gilania*;

- Divulgar estudos e descobertas sobre o antigo culto da divindade feminina no nosso território e facilitar o acesso a tal conhecimento pela sociedade portuguesa e internacional;

- Estabelecer um ponto de referência (virtual e físico) para a transmissão desses conhecimentos e para o encontro em Espaço Sagrado e Cerimonial;

- Desenvolver a consciência de género e sua implicação ao nível da organização social, defendendo e promovendo a igualdade em dignidade e direitos entre mulheres e homens, nomeadamente através da visualização de um modelo do Feminino Divino negado ao longo de mais de três mil anos;

- Desconstruir modelos de pensamento de raiz patriarcal, dominantes na sociedade humana atual, abrindo caminho para a concepção de novos paradigmas culturais, políticos, sociais, educacionais e espirituais, favorecendo o retorno aos valores de uma sociedade gilânica, mais justos e ecológicos, contribuindo para a paz e a sustentabilidade; 

- Promover, defender e trabalhar pelo respeito e preservação da Natureza como manifestação física da divindade;

- Promover, defender e trabalhar pelo respeito pela multiculturalidade, como exemplo da biodiversidade humana, trabalhando com deusas de todas as culturas através do tempo e do espaço;

- Reconhecer o Paganismo, uma religiosidade centrada na Natureza, como a mais antiga prática religiosa deste território e reivindicar o seu estatuto de religião a par de outras legalmente reconhecidas;

- Reconhecer e recuperar antigos lugares sagrados deste território e o direito de uso dos mesmos para fins religiosos, como acontecia no passado, desde que tal não represente qualquer risco para a sua integridade física e boas condições de preservação;

- Desenvolver o conhecimento de antigos instrumentos espirituais, rituais e tradições, que fazem parte da herança cultural da humanidade, e contribuem para a prática duma espiritualidade holística;

- Realizar eventos de âmbito nacional e internacional, que contribuam para a concretização dos objetivos atrás referidos. 

 

* O conceito de "gilania" é apresentado e explicado pela socióloga Riane Eisler na obra "O Cálice e a Espada" da seguinte forma:

“Como termo mais preciso do que “patriarcado” para descrever um sistema social governado por homens através da força ou da ameaça de força, proponho o termo "androcracia". Já com algum uso, este termo deriva das raízes gregas "andros", ou “homem”, e "kratos" (como em democrático), ou “governado”. Para descrever a alternativa real a um sistema baseado na graduação de metade da humanidade acima da outra, proponho o termo "gilania". "Gi" deriva da raiz grega "gyne", ou “mulher”. "Na" deriva de "andros", ou “homem”. A letra"l" entre as duas tem um duplo sentido. Em inglês, representa a associação (no original inglês "linking") de ambas as metades da humanidade, em vez de, como na "androcracia", a sua graduação. Em grego, deriva do verbo "lyein" ou "lyo", que tem por sua vez um duplo sentido: "solver" ou "resolver" (como em "análise") e "dissolver" ou "libertar" (como em "catálise"). Neste sentido, a letra "l" representa a resolução dos nossos problemas através da libertação de ambas as metades da humanidade da rigidez estultificante e distorcedora das funções impostas pelas hierarquias de dominação inerentes aos sistemas androcráticos.”

 

Riane Eisler, O Cálice e a Espada, Via Óptima, Porto

NOTA:
 

As sócias e sócios da Associação Cultural Jardim das Hespérides têm direito ao desconto de 10% sobre o valor do ingresso em qualquer actividade promovida pela mesma, incluindo a Conferência da Deusa que terá lugar em Sintra a 14, 15 e 16 de maio de 2021.